Biologia em pauta

ONU alerta que o século 21 tem 16 dos 17 anos mais quentes já registrados

18 de novembro de 2016 - A Organização Meteorológica Mundial (OMM), subordinada à ONU (Organização das Nações Unidas), anunciou na última segunda-feira (dia 14) que o mundo pode voltar a bater o recorde de temperaturas em 2016, com uma média de 1,2ºC a mais em relação ao nível da era pré-industrial.


Se o anúncio for confirmado, o século 21 vai ter registrado 16 dos 17 anos mais quentes desde que começaram os registros de clima. O ano de 2016 será o mais quente superando até os dados do ano anterior. Essa tendência de aquecimento aumentou em 2015 e 2016 devido ao El Niño, fenômeno meteorológico que afeta o Pacífico. Segundo dados, a cada cinco anos o El Niño provoca um aumento das temperaturas através de correntes de ar quente.


O sinal mais evidente da aceleração do fenômeno é a concentração de gases do efeito estufa na atmosfera. A calota polar do Ártico, por exemplo, encolheu até níveis desconhecidos. Regiões inteiras da Groelândia sofrem longas épocas de degelo.


Outro alerta feito pela OMM é que, até agora, os recordes de calor eram expressados em frações de graus centígrado, mas a temperatura tem ultrapassado o nível normal em ao menos 3ºC. A única região continental onde a temperatura foi inferior à normal está situada na zona subtropical da América do Sul, no norte e centro da Argentina e em partes do Paraguai e da Bolívia.


Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada, Assessoria de Imprensa do CRBio-01

CRBio Digital

Serviços Online

Transparência

Anuncie