Biologia em pauta

Segundo dia do 23º ConBio - Congresso de Biólogos teve painéis e minicursos

14 de dezembro de 2017 - O segundo dia do 23º ConBio – Congresso de Biólogos do CRBio-01 iniciou com um painel sobre o mercado de trabalho no controle de vetores e pragas sinantrópicas, atualmente uma das áreas de atuação com um número cada vez maior de Biólogos. De acordo com Sergio Bocalini, da APRAG, os Biólogos já são maioria no quadro de funcionários das empresas paulistas de controle de vetores e pragas urbanas. E o mercado está em plena expansão. Hoje, no Brasil, já são mais de 4.500 empresas controladoras, que juntas faturam cerca de R$ 1,5 bilhão, ao ano.


O painel contou também com a participação do vice-presidente do CRBio-01, Luiz Eloy Pereira, além de Paulo Roberto Urbinatti, da Faculdade de Saúde-Pública-USP, e Fábio Moreira da Costa, da Sinantrópicos Ambiental. Cada um deles apresentou um panorama sobre os possíveis campos de atuação do Biólogo no mercado de controle de vetores e pragas, dentro de suas diferentes especialidades.


Ainda na parte da manhã, a programação seguiu com a formação de mais um painel, que abordou o papel do Biólogo no contexto atual de sustentabilidade ambiental. Para Denise Sasaki, da JGP Consultoria, os Biólogos que hoje atuam nessa área são, principalmente, pessoas que se formaram a partir do ano 2000, especialmente depois da criação do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento, criado pelo governo Lula), já que a atuação profissional do Biólogo foi favorecida pelo programa. “Mas são pessoas que, geralmente, nunca tiveram essa área como opção profissional, nunca tinham pensado em atuar nesse ramo quando estavam cursando Biologia”, disse a consultora.


Participaram ainda do painel o ambientalista Delcio Rodrigues, físico por formação, Mario Orsi, da Universidade Estadual de Londrina, e Cristina Maria do Amaral Azevedo, da Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo. “Mas temos uma visão muito restrita. O Biólogo precisa ser mais empreendedor, ter uma visão mais ampla sobre outras questões, como as sociais e econômicas. Temos ainda essa desvantagem em relação a outras profissões”, completou Denise, ao falar sobre a concorrência com profissionais de outras áreas no trabalho de licenciamento ambiental.


Na parte da tarde, foram realizados os três minicursos dentro da programação do 23º ConBio. Eles foram conduzidos simultaneamente, com duração de aproximadamente quatro horas, e ao final de cada um deles os Biólogos receberam Certificados de Participação, emitidos pelo CRBio-01. Os temas escolhidos pela organização do evento para esta edição foram Biologia Forense, Licenciamento Ambiental e Vigilância em Saúde, atualmente três áreas de atuação do Biólogo de grande interesse profissional.


O minicurso de Biologia Forense foi ministrado por Euclides Matheucci Jr, da DNA Consult Genética e Biotecnologia, enquanto José Milton Longo, da FIBRAcon, foi o responsável pelo minicurso de Licenciamento Ambiental. E, por fim, Eduardo de Masi, da Secretaria Municipal de Saúde, foi o convidado para oferecer o minicurso de Vigilância em Saúde.


Amanhã, sexta-feira, o 23º ConBio chega a seu terceiro e último dia. Haverá ainda mais um painel e duas conferências, além do anúncio dos trabalhos vencedores do Prêmio Dra. Bertha Lange de Morretes.



Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada, Assessoria de Imprensa do CRBio-01

CRBio Digital

Área do Biólogo

Transparência

Anuncie