Biologia em pauta

Por dia, ao menos uma pessoa é picada por animal venenoso na capital paulista

16 de novembro de 2016 – Dados da Secretaria Municipal de Saúde mostram que, em seis anos e dez meses, 3.514 pessoas foram picadas por animais peçonhentos na capital de São Paulo. Analisando os casos e o período, é como se uma pessoa fosse picada todos os dias na cidade. Entretanto, a Secretaria não informou o total de ocorrência divididas entre cobras, aranhas e escorpiões.


Durante a época estipulada, apenas duas pessoas morreram. Um caso em 2010, por uma picada de serpente, e o outro em 2015, após uma picada por escorpião. Já verificando o Estado de São Paulo, entre 2010 e 2015, foram computados 113.059 casos, com 58 mortes.


A Secretaria Municipal da Saúde compartilha dez cuidados que devem ser tomados caso a pessoa tenha sido picada por um animal venenoso:


1. Ficar deitado, calmo, imóvel e com o local do acidente elevado;
2. Lavar o local com água e sabão;
3. Não usar torniquete e retirar anéis e pulseiras;
4. Não cortar ou perfurar ao redor da lesão e não colocar folhas, pó de café, etc;
5. Procurar atendimento médico;
6. Retirar o ferrão, se for abelha;
7. Se aranha ou escorpião: compressa morna;
8. Se Lonomia (um tipo de lagarta): compressa gelada;
9. Levar carteira de vacinas para o serviço de saúde para avaliação da situação vacinal contra tétano;
10. Levar o animal para identificação, se possível, para o Centro de Controle de Zoonoses.



Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada, Assessoria de Imprensa do CRBio-01

Anuncie

CRBio Digital

Área do Biólogo

Transparência